Curso de SEO – um guia completo de SEO para iniciantes

Criamos este curso de SEO para você, executivo ou especialista,  que precisa aprender sobre o tema, mas não sabe por onde começar. Ao ler o nosso guia completo de SEO para iniciantes você aprenderá tudo o que é necessário saber para contratar serviços de SEO. Da mesma forma para se autodesenvolver em SEO por conta própria!

Em contrapartida, se quiser pular por agora todo o aprendizado que há pelo frente e, saber como podemos ajudá-lo com SEO, visite nossos Serviços de Agência de SEO.

Índice do conteúdo do curso de SEO

1)  História do SEO

2) Introdução ao curso de SEO

3) Motores de busca

4) Palavras-chave

5) Otimização de conteúdo

6) SEO on-page

7) Backlinks e link building

Índice do conteúdo do curso de SEO

1) História do SEO

Antes de mais nada, um curso de SEO, que se pretende completo, deve começar pela história do SEO.  Atualmente ela gira em torno do Google, mecanismo de pesquisa mais popular do mundo, cofundado por Larry Page e Sergey Brin.

Primordialmente o termo Search Engine Optimization, começou a aparecer em 1997.  John Audette, do Multimedia Marketing Group, é tido como a primeira pessoa a utilizar o termo na mídia, em fevereiro de 1997. Confira neste link a página original na qual o termo foi mencionado. Uma alta classificação nos motores de busca em 1997 ainda era um conceito bastante novo.

Segundo Bob Heyman,  autor do livro Digital Entertainment, o termo tem também origens musicais no mesmo ano de 1997. Tal fato se deve ao empresário da banda de rock Jefferson Starship que andava chateado porque o site da banda estava aparecendo apenas na quarta página do principal motor de busca da época.

Por conta da insatisfação do empresário,  sua agência de marketing se concentrou no problema e percebeu que os resultados da pesquisa orgânica eram regidos por quantas vezes a palavra-chave da pesquisa aparecia na página. Uma vez descoberta a fórmula do sucesso, passaram a repetir a palavra ‘Jefferson Starship’ na página. Com essa ação o site da Jefferson Starship disparou para a primeira posição na primeira página.

curso de seo - Jefferson starship primeira banda a usar SEO
Curso de SEO - Primeira ação comercial de SEO na história - A Banda Jefferson Starship.

2) Introdução ao curso de SEO

Primeiramente, antes de nos aprofundarmos em técnicas e aspectos específicos no nosso curso de SEO (do inglês Search Engine Optimization), vamos aprender primeiro algumas definições básicas. Da mesma forma conhecer mais sobre o vocabulário comum assim como as perguntas mais frequentes. Desde já, não queime etapas, comece por aqui!

2.1 - O que é SEO e para que serve

SEO é um processo de otimização do seu site com o objetivo de melhorar sua classificação nos resultados de pesquisa e obter mais tráfego orgânico. O oposto ao tráfego pago.

O SEO se concentra apenas nos resultados da pesquisa orgânica e não inclui a otimização para anúncios pagos, ou PPC (Pay Per Click). Tanto o SEO quanto o PPC fazem parte do SEM (Search Engine Marketing).  Se a sua necessidade no momento é por PPC, conheça nossos serviços de Agência Google Ads.

Curso de SEO - imagem que mostra a diferença em ppc e resultado orgânico
Curso de SEO - Veja a diferença entre o resultado pago e orgânico a partir da mesma pesquisa.

2.2 - Por que eu preciso de um curso de SEO?

Se você deseja se posicionar bem nas pesquisas dos motores de busca, você deve trabalhar para fornecer as respostas para as questões colocadas por seu público-alvo. Portanto, para isso, você precisa de um curso de SEO. Principalmente para aprender como aplicar as técnicas de SEO ou saber contratar corretamente este tipo de serviço especializado.

Antes de mais nada , entender o comportamento humano é primordial para entender SEO. Acima de tudo, as pessoas utilizam o Google e outros buscadores quando querem:

Não importa se você vende um produto ou serviço, se escreve um blog ou faz qualquer outra coisa, a otimização de SEO é uma obrigação para todos as marcas e negócios que possuem um site.

Embora SEO signifique “otimização para motores de busca”, e aqui se incluem também o Bing e o DuckDuckGo, entre outros,  com o domínio atual do Google, poderíamos simplesmente usar o termo “otimização para o Google”.

Principalmente é por isso que todas as dicas e técnicas neste curso de SEO são principalmente sobre o Google SEO, embora muitas coisas sejam universais e se apliquem à otimização para qualquer outro mecanismo de pesquisa.

Em sínteseSEO é o conjunto de ações que você realiza para fazer o Google considerar seu site como uma fonte de qualidade e assim classificá-lo em uma posição superior para as consultas feitas pelos usuários do seu público-alvo.

2.3 - Resuma SEO em poucas palavras

Neste momento da sua jornada de aprendizado no nosso curso de SEO, você não precisa conhecer todos os fatores que o Google utiliza para classificar seu site.  Entretanto, se você já tem algum conhecimento ou acha que é a hora conhecer mais detalhadamente, acesse esse guia do Google o  General Guidelines Overview.

Sobretudo você precisa entender os três principais componentes do SEO que influenciam muito para a obtenção de sucesso a partir das suas ações.

Uma maneira fácil de entender os 3 componentes mais importantes é imaginar uma jarra com suco de frutas – o suco de SEO.

2.4 - Os três principais componentes do suco de SEO

Curso de SEO - suco de seo
Curso de SEO - O suco de SEO.

Elemento técnico – a jarra representa todos os aspectos técnicos que você precisa considerar. Comumente o chamamos de SEO on page. Sem uma jarra adequada, não haveria nada para conter e preservar o suco.

Ótimo conteúdo – O suco representa o conteúdo do seu site. Ele é a parte mais importante!  Conteúdo de baixa qualidade não atrai usuários nem promove a classificação do seu site. É tão simples quanto isso.

Backlinks de qualidade – os  complementos ao suco são representados pelos backlinks que aumentam a autoridade do seu site. Você pode ter um ótimo conteúdo e um site perfeitamente otimizado, mas, no final das contas, você precisa ganhar autoridade obtendo backlinks de qualidade. O conjunto deles é o último ingrediente para tornar seu suco de SEO perfeito.

Nos capítulos seguintes deste curso de SEO, daremos uma olhada em todos esses aspectos de ponto de vista prático.

2.5 - Vocabulário útil para nosso curso de SEO

Assim que você começar a se aprofundar em nosso curso de SEO, você encontrará alguns termos comuns que tentam categorizar seus vários aspectos ou abordagens, são eles:
  • SEO on-page e SEO off-page;
  • SEO white hat e SEO black hat.
Embora não sejam tão importantes do ponto de vista prático, é bom saber seus significados.

2.5.1 - SEO on-page e SEO off-page

Os termos SEO on-page e off-page possuem outras denominações. Aqui no nosso curso de SEO utilizaremos somente estas. Em  síntese, SEO on-page e off-page  categorizam as atividades de SEO que são feitas no site e fora dele.

SEO on-page

SEO on-page se refere a tudo o que possível fazer no site. Ele vai desde a otimização do conteúdo até as dezenas de aspectos técnicos.

  • Pesquisa de palavra-chave;
  • Tratamento do conteúdo para SEO;
  • Aplicar corretamente as tags de título;
  • Otimização do desempenho da página;
  • Links internos.

O objetivo do SEO on-page é fornecer conteúdo e experiência perfeitas aos usuários. Do mesmo modo em que mostra ao Google e outros mecanismos de pesquisa do que trata a página.

SEO off-page

SEO off-page trata principalmente de obter backlinks de qualidade para mostrar aos mecanismos de pesquisa que seu site tem autoridade e valor. Chamamos de link building as atividades envolvidas na geração de backlinks.  São técnicas relacionadas com:

  • a postagem em blogs externos, também chamados de guest blogs;
  • Chegar no público-alvo por campanhas de e-mail;
  • Recuperar backlinks perdidos.

O SEO off-page não somente está intimamente ligado a outras áreas do marketing digital, como também ao marketing para as mídias sociais e branding. Nesse sentido eles têm um impacto direto na construção da confiança e autoridade do seu site.

Principalmente reforçamos aqui no nosso curso de SEO para que você tenha sempre em mente  de que uma estratégia de SEO de sucesso consiste em atividades de SEO on-page e off-page. Simultaneamente. Por incrível que pareça muito gente esquece isso!

Curso de SEO - seo back hat versus white hat
Curso de SEO - SEO Black e White hat é uma referência aos mocinhos e bandidos dos velhos filmes de faroeste.

2.5.2 - SEO white hat e SEO black hat

Um dos objetivos com nosso curso de SEO é ajuda-lo a distinguir o que é recomendável e o que não é no que diz respeito as técnicas de SEO. 

Em SEO, os termos black e white hat  são usados para descrever dois tipos de abordagens  – aquelas que seguem as regras estabelecidas pelas Diretrizes para webmasters do Google e aqueles que não o fazem.

O SEO Black hat é uma referência aos bandidos dos velhos filmes de faroeste.  Trata-se de um conjunto de práticas não somente antiéticas como também perigosas para melhorar a classificação de um site.

Essas técnicas podem levar um site ao topo dos resultados da pesquisa em um curto espaço de tempo, no entanto, o  Google, cedo ou tarde, irá  penalizar e banir nos resultados de pesquisa.

O SEO white hat, uma referência aos mocinhos dos filmes, por outro lado, aplica-se a todas as boas práticas de SEO que seguem as diretrizes do Google. É uma estratégia de longo prazo na qual boas classificações são um subproduto de boa otimização, conteúdo de qualidade e uma abordagem orientada para o usuário.

Embora os especialistas em SEO concordem que o white hat é o caminho a seguir, o black hat acaba sendo adotado como um forma de mostrar resultados mais rápidos, entretanto sem se preocupar com as consequências no longo prazo. Esperamos que ao final do nosso curso de SEO você consiga distinguir claramente uma técnica da outra.

2.6 - Perguntas mais frequentes nesta fase do curso de SEO

Posso trabalhar sozinho após fazer esse curso de SEO ?

SEO não é fácil. Mas também não é um bicho de 7 cabeças. Um dos objetivos do nosso curso de SEO é desmitificá-lo para facilitar seu aprendizado.
Existem coisas que você pode implementar imediatamente e existem conceitos que levarão muito mais tempo e esforço. Então, sim, você pode fazer SEO por conta própria.
A única questão é se você está disposto a investir algum tempo para aprender todos os aspectos do SEO ou se vai contratar uma agência de marketing digital especializada e investir seu tempo em outra coisa.

Como posso aprender além deste curso de SEO?

Há algumas coisas que você deve fazer para aprender SEO:

  • Primeiramente ler todo o conteúdo desse nosso curso de SEO;
  • Ler de fontes confiáveis;
  • Adquirir experiência prática;
  • Não ter medo de experimentar e errar até acertar;
  • Ter paciência na sua jornada de aprendizado SEO é uma maratona, não uma corrida de 100 metros.
  • Seguir as orientações  deste curso de SEO é uma ótima maneira de começar.

Quanto tempo levarei para aprender com este curso de SEO?

Para responder a esta pergunta, usaremos uma resposta comum de especialistas em SEO para quase todos os problemas de SEO: depende.

Para começar, a leitura desse curso de SEO lhe tomará algumas boas horas.

Embora a compreensão dos princípios básicos não leve mais do que algumas semanas, o domínio real desta disciplina depende em grande parte da prática, que é uma questão de meses, até anos.

Por último, mas não menos importante, o SEO está evoluindo o tempo todo. Você deve sempre aprender e ficar atualizado com as últimas atualizações, experimentos e descobertas.

Preciso de ferramentas para fazer este curso de SEO?

Estas são as ferramentas indispensáveis  de SEO, disponibilizadas pelo Google e que todo administrador do SEO de um site deve usar:

Aqui estão algumas ferramentas adicionais de SEO que você irá precisar para ações mais sofisticadas:

  • Ubbersuggest – Trata-se de ferramenta completa de SEO. Mas sua maior vantagem é disponibilizar um plugin gratuito que você pode instalar no seu navegador e começar a utilizar imediatamente;
  • Semrush – É também uma ferramenta com uma suíte completa de soluções para SEO. As funcionalidades de análise competitiva são as melhores entre todas as ferramentas;
  • Ahrefs – uma outra suíte completa de SEO. Ela é a nossa preferida para analisar

Entretanto elas não são indispensáveis para você fazer este curso de SEO.

3) Motores de busca

3.1 - O que são motores de busca?

Um motor de busca, também chamado de mecanismo de pesquisa, é uma ferramenta que ajuda as pessoas a encontrar informações na Internet. O mais conhecido de todos é o do Google.

Principalmente para este curso de SEO,  o Google é o único motor de busca que você precisa saber. Portanto, sempre que falamos sobre mecanismos de pesquisa aqui no nosso curso de SEO, estaremos sempre nos referindo ao Google.

Outros mecanismos de pesquisa funcionam com princípios semelhantes e, uma vez que seu site está otimizado para o Google, ele também estará preparado para os outros.

Confira no gráfico a seguir a participação no mercado brasileiro, em junho de 2021, dos diversos mecanismos de pesquisa (dados do Statista).

Curso de SEO - market share motores de busca brasil junho de 2021
Curso de SEO - Mecanismos de busca mais populares no Brasil em junho de 2021, com base na participação de mercado.

3.2 - Como funcionam os motores de busca

O processo no qual os mecanismos de pesquisa funcionam consiste nestas etapas:

  • Rastreamento;
  • Indexação;
  • Classificação ou ranqueamento;

Por último ela apresenta os  resultados da pesquisa ao usuário. O processo é mais ou menos assim:

Curso de SEO - como os motores de busca funcionam
Curso de SEO - Ilustração de como os motores de busca funcionam.

3.2.1 - Rastreamento

Na etapa do processo de  rastreamento os mecanismos de pesquisa vasculham e examinam todas as páginas dos sites visíveis na Internet continuamente.

Eles usam pequenos pedaços de programas (chamados de crawlers ou bots) para seguir todos os hiperlinks e descobrir novas páginas. De maneira idêntica as atualizações para as páginas que já foram rastreadas.

O processo de rastreamento é relativamente simples. Os bots  começam em um dado site com URLs e, imediatamente após, passam a seguir os links a partir dele.

3.2.2 - Indexação

Depois que o site é rastreado, as informações são indexadas. Os motores de busca tentam analisar e compreender as páginas, categorizá-las e armazená-las no índice.

O índice do mecanismo de pesquisa é basicamente uma biblioteca gigantesca de todos os sites rastreados com um único propósito – entendê-los e disponibilizá-los para serem usados como resultado de pesquisa.

Dica: se você deseja descobrir se sua página foi rastreada e indexada, acesse seu Google Search Console e utilize a ferramenta de inspeção de URL.

Curso de SEO - google search console - inspeção de URL
Curso de SEO - Google search Console - inspeção de URL.

Você verá quando a página foi rastreada pela última vez, bem como avisos sobre quaisquer possíveis problemas de rastreamento e indexação que o Google possa ter com sua página.

3.2.3 - Classificação ou ranqueamento

Depois que o usuário submete uma pesquisa ao Google ele procura no seu índice e seleciona os melhores resultados. A lista de resultados é conhecida como SERP (Search Engines Results Page).

Vamos dar uma olhada mais de perto no algoritmo de pesquisa do Google.

3.3 - Como funciona o motor de busca do Google

De antemão, nosso curso de SEO é principalmente voltado para o Google. O algoritmo de pesquisa dele é usado como um termo geral para se referir a todos os algoritmos individuais. Eles compreendem sistemas de aprendizado de máquina, processamento de linguagem natural e outras técnicas  para classificar os sites.

O Google leva em conta vários fatores para relacionar os melhores resultados, são eles:

  • Significado da consulta – o mecanismo de pesquisa precisa entender o que exatamente o usuário está procurando;
  • A relevância das páginas – a página deve ser relevante para a consulta de pesquisa;
  • Qualidade de conteúdo – o mecanismo de pesquisa tenta escolher os melhores resultados em termos de qualidade de conteúdo;
  • Usabilidade das páginas – as páginas também devem oferecer uma boa experiência (em termos de acessibilidade, legibilidade, segurança, etc.);
  • Contexto e configurações – a localização do usuário, as configurações e o histórico de pesquisas são considerados.

3.4 - Acompanhe as atualizações do motor de busca do Google

Como acontece com qualquer outro sistema complexo, o algoritmo do Google precisa ser atualizado e ajustado regularmente. Logo, sua rotina pessoal de manter-se atualizado após nosso curso de SEO deve se tornar uma constante no seu cotidiano.

Atualizações de maior monta intervalam-se entre meses.  Elas são anunciadas oficialmente pelo Google e geram muito burburinho na comunidade de SEO.

Em junho de 2021 o Google fez uma grande atualização no algoritmo. Nele foi introduzido um novo coeficiente de classificação da experiência de página para os usuários.  Confira este artigo no nosso Blog que trata em profundidade sobre este tema.

Pequenas atualizações nos algoritmos  acontecem quase todos os dias.  Confira no Twitter a seguir a que foi anunciada  no dia 24 de agosto de 2021.

3.5 - Fatores de classificação para nosso curso de SEO

O Google mantém em segredo os cálculos exatos de seus algoritmos. No entanto, muitos fatores de classificação são bem conhecidos. Fatores de classificação são um dos tópicos mais discutidos no mundo do SEO.  Portanto decidimos nos ater aos 10 fatores que consideramos essenciais de serem mencionados nesse nosso curso de SEO.

Muitos deles foram oficialmente confirmados pelo Google, mas muitos permanecem no reino de especulações e teorias. Do ponto de vista prático, é importante focar em fatores que têm impacto comprovado, mas também tentar manter uma boa pontuação em todas as áreas.

3.5.1 - Os 10 fatores de classificação do nosso curso de SEO

  1. Qualidade do conteúdo  – Crie sempre conteúdo de qualidade.
  2. Conteúdo orientado para a intenção do usuário – SEO não é apenas sobre palavras-chave, mas a entregar aquilo pelo que o usuário procura. Se seu visitante fica feliz o Google também ficará.
  3. Conteúdo exclusivo – Evite conteúdo duplicado em seus sites.
  4. EAC: Experiência, autoridade, confiança – os sinais E-A-C são levados em conta pelos avaliadores de qualidade do Google – Demonstre sua experiência e confiabilidade ao escrever apenas sobre tópicos que domina.
  5. Conteúdo novo – alguns tópicos exigem mais atualização do que outros. Todavia, você deve atualizar regularmente todo o seu conteúdo.
  6. Site rastreável – seu site deve ser fácil de ser encontrado pelos mecanismos de pesquisa.
  7. Qualidade e quantidade de backlinks – quanto mais páginas de qualidade se vincularem ao seu site, mais autoridade ele terá para o Google.
  8. Taxa de cliques – otimize suas tags de título e meta descrições para melhorar a CTR de suas páginas.
  9. Velocidade do site – certifique-se de que seus visitantes não tenham que esperar muito para carregar a página, caso contrário, há uma grande chance de eles saírem antes de realmente visitá-la.
  10. Funcionar em qualquer dispositivo – seu site deve funcionar perfeitamente em qualquer dispositivo e tamanho de tela.

3.5.2 - Não se limite aos fatores do nosso curso de SEO

Desde já, não se limite aos 10 fatores que abordamos aqui no nosso curso de SEO. Nesse sentido, invista para conhecer uma infinidade de outros fatores importantes que podem ter um impacto positivo em suas classificações, como por exemplo:

  • Profundidade de conteúdo;
  • Otimização das imagens;
  • Autoridade do tópico;
  • Estruturação da página;
  • Compartilhamento social;
  • Uso de HTTPS.

Sobretudo , a qualidade do conteúdo é o fator de SEO mais importante juntamente com a experiência na página.  Neste outro artigo do nosso Blog você pode aprender a elaborar um conteúdo pertinente e relevante para seu público-alvo

3.6 - Avaliadores de qualidade do Google

Além dos algoritmos, o Google também tem uma imensa equipe de curadoria que zela pela qualidade das pesquisas.

À primeira vista são milhares de colaboradores externos ao Google. Eles são chamados de avaliadores de qualidade de pesquisa,. Dessa forma seguem diretrizes rígidas e disponíveis ao público para consulta.

Antes de mais nada, eles não só avaliam os resultados reais da pesquisa como também classificam a qualidade das páginas classificadas. Um exemplo típico de páginas que passam por esse tipo de avaliação rigorosa são as chamadas páginas SDSV (Seu Dinheiro , Sua Vida) – páginas que tratam de tópicos importantes que podem impactar a felicidade, saúde, segurança ou bem-estar financeiro de alguém.

Os avaliadores de qualidade não influenciam as classificações diretamente, mas seus dados são usados para melhorar o algoritmo de pesquisa.

4) Palavras-chave

A pesquisa de palavras-chave deve ser o primeiro passo em sua jornada de SEO. Para o contexto do nosso curso de SEO, é especialmente importante em dois cenários comuns:

  • Conhecer o seu espaço de atuação ou mercado alvo – Tanto o esforço na criação de sites como o na otimização de sites deve considerar uma etapa de pesquisa de palavras-chaves.  Primordialmente ela fornece uma ótima visão geral de quais tópicos são interessantes para as pessoas em seu mercado de atuação ou indústria;
  • Encontrar novas ideias de conteúdo – A pesquisa de palavras-chave é a forma pela qual encontraremos as oportunidades de palavras-chave mais lucrativas e assim planejar a estratégia de conteúdo.

Logo depois de terminar este curso de SEO, esperamos que você comece a procurar identificar palavras-chave em todo conteúdo que acessar.

4.1 - Onde encontrar palavras-chave

À princípio, existem várias maneiras de encontrar palavras-chave. Porém só vamos explorar duas delas aqui no nosso curso de SEO.

Sobretudo o primeiro passo da jornada começa pela criação das palavras-chave iniciais que serão utilizadas como âncoras para a partir delas encontrar mais ideias de palavras-chave.

Se você tem um blog sobre cosméticos naturais, frases simples como “cosméticos orgânicos”, “produtos de beleza veganos” ou “artesanais” funcionarão muito bem.

As duas maneiras de procurar palavras-chave são:

  • Utilizar as sugestões do Google;
  • Pesquisar com o auxilio de ferramentas especializadas.

4.1.1 - Encontrar palavras-chave com sugestões do Google

O Google oferece diferentes recursos e muitas sugestões de palavras-chave diretamente na página de pesquisa. Os recursos de

  • Preenchimento automático;
  • As pessoas também perguntam;
  • e as pesquisas relacionadas.

são uma ótima fonte de ideias de palavras-chave.

Com o recurso de preenchimento automático, você só precisa escrever sua palavra-chave na caixa de  e as sugestões aparecerão automaticamente. E a seguir vem o que as pessoas também perguntam.

urso de SEO - Google preenchimento automático
Curso de SEO - Funcionalidades do Google: Preenchimento automático.
Curso de SEO - Funcionalidades do Google: As pessoas também perguntam
Curso de SEO - Funcionalidades do Google: As pessoas também perguntam.

O Google também permite que você combine palavras-chave com diferentes letras do alfabeto para encontrar mais ideias de preenchimento automático. 

As sugestões são baseadas em consultas de pesquisa reais utilizadas por pessoas em todo o mundo.

Considere também pesquisar em outros lugares que certamente irão ajudá-lo a encontrar novas ideias de palavras-chave. Concentre-se naqueles que as pessoas do seu nicho usam para fazer perguntas, comunicar e compartilhar ideias.  Comece pelo Facebook, Instagram, Twitter e Youtube. Há outras lugares também bem legais como o  Reddit e o  Quora, entre muitos outros.

Curso de SEO - Funcionalidades do Google: Preenchimento automático com a letra c
Curso de SEO - Funcionalidades do Google: Preenchimento automático com a letra c.
Curso de SEO - Funcionalidades do Google: Pesquisas relacionadas
Curso de SEO - Funcionalidades do Google: Pesquisas relacionadas.

4.2 - Recomendações sobre ferramentas de SEO

Existem muitas ferramentas de palavras-chave gratuitas que podem fornecer  ideias de palavras-chave. Entretanto elas são muito limitadas quando é necessário um trabalho profissionalizado e de alta qualidade. 

Aqui na Wedoiti nós utilizamos várias ferramentas pois cada uma delas tem pontos fortes e fracos. Geramos mais valor para nossos clientes ao obter o melhor de cada uma delas.

Além das sugestões de palavras-chave, ferramentas profissionais oferecem outras métricas úteis de SEO e percepções para avaliar as palavras-chave e escolher as melhores. Acima de tudo, elas nos possibilitam avaliar uma infinidade de aspectos de competitividade e performance e assim oferecer vantagem competitiva para nossos clientes.
Após a conclusão do nosso curso de SEO, recomendamos fortemente que você invista em pelos menos uma ferramenta paga. O retorno ao seu investimento será imenso se ela for bem aplicada.

4.2.1 - Métricas de palavras-chave

Nosso esforço no SEO é dirigido no sentido de encontrar palavras-chave relevantes com altos volumes de pesquisa e baixa dificuldade classificação na primeira página. De uma outra forma,  uma combinação ideal desses que são os três fatores mais importantes da pesquisa de palavras-chave. 

Chamamos esse princípio de regra dos três pilares. Se um deles não é forte o suficiente a estrutura não se sustenta.

Volume de pesquisa – De antemão é importante ressaltar  que a classificação apenas para palavras-chave de alto volume nem sempre é possível. Se seu site é novo ele simplesmente não conseguirá se classificar de início para palavras-chave concorridas. Isso não significa que você não deve tentar depois de se estabelecer no mercado e obter alguma autoridade. É tudo uma questão de trabalho e investimento consistente em SEO e conteúdo por meses. 

Dificuldade de palavra-chave – Depois de encontrar as palavras-chave para as quais pretende classificar, você irá levar um balde de agua fria ao  descobrir como será difícil enfrentar a concorrência. Geralmente há uma métrica em todas as ferramentas que  expressa o grau de dificuldade de palavras-chave.

Na maioria das ferramentas, o grau de dificuldade da palavra-chave é indicado em uma escala de 0 a 100. Quanto mais alta a pontuação, mais difícil é classificar na primeira página para a palavra-chave.

4.2.2 - Ahrefs - Exemplo de uso no nosso curso de SEO

Agora vamos praticar um pouco aqui no curso de SEO com ferramentas pagas.  Vamos começar pelo Ahrefs.   Continuaremos utilizando a palavra-chave “cosméticos naturais“. 

Nas duas figuras a seguir você pode conferir uma infinidade de informações úteis relacionadas à esta palavra-chave, na pesquisa feita no Ahrefs, por exemplo:

  • Dificuldade de palavra-chave: 12;
  • Volume de pesquisa mensal: 4.000;
  • Percentual de clicks orgânicos: 38%;
  • Percentual de clicks pagos: 10%;
  • Ideias de palavras-chave;
  • Histórico de posições das URLs mais bem posicionadas na primeira página.
Curso de SEO - Ahrefs - pesquisa palavra-chave cosméticos naturais - visão 1
Curso de SEO - Ahrefs - pesquisa palavra-chave cosméticos naturais - visão 1.
Curso de SEO - Ahrefs - pesquisa palavra-chave cosméticos naturais - visão 2
Curso de SEO - Ahrefs - pesquisa palavra-chave cosméticos naturais - visão 2.

4.2.3 - Semrush - Exemplo de uso no nosso curso de SEO

Não adianta se classificar para uma palavra-chave de alto volume, que não é relevante para seu negócio. Portanto é imprescindível fazer uma análise adequada para descobrir:

  • Se seu site é capaz de competir com sites que estão na primeira página para uma dada palavra-chave;
  • Qual é a intenção de pesquisa por trás das palavras-chave que você deseja otimizar.

Existem 4 tipos diferentes de intenção de pesquisa:

  • Navegacional – pesquisa um site / marca específica;
  • Informativa – busca por informações gerais;
  • Transacional – o usuário deseja comprar algo online;
  • Comercial – o usuário faz a pesquisa antes da compra.

Imagine aqui no nosso curso de SEO, que você administra um e-commerce de cosméticos naturais. Para não investir em conteúdo e otimização de palavras-chave erradas o  Semrush pode ser uma mão na roda. Ele é uma outra ferramenta também  bastante utilizada pelo nosso time de SEO.

Nas figuras a seguir, capturadas dele, confira duas funcionalidades fantásticas:

  • Sugestões de conteúdo para a palavra-chave;
  • Mapa mental a partir da palavra-chave.
Curso de SEO - Semrush - pesquisa palavra-chave cosméticos naturais - visão 1
Curso de SEO - Semrush - pesquisa palavra-chave cosméticos naturais - visão 1.
Curso de SEO - Semrush - pesquisa palavra-chave cosméticos naturais - visão 2
Curso de SEO - Semrush - pesquisa palavra-chave cosméticos naturais - visão 2.

5) Otimização de conteúdo

SEO e conteúdo estão umbilicalmente interligados. Em outras palavras: não há sucesso em SEO se o conteúdo não for bom. portanto vale resgatar uma máxima: o conteúdo é rei! 

É por isso que consideramos compartilhar algumas dicas úteis sobre como criar uma estratégia de conteúdo de sucesso neste curso de SEO.

5.1 - Identificação e organização de tópicos

Sua estratégia de conteúdo deve ser baseada em uma compreensão correta do seu público-alvo e das necessidades dele.

No capítulo anterior aqui do nosso curso de SEO abordamos a primeira etapa deste processo que é encontrar as palavras-chave corretas. A segunda etapa é identificar os tópicos.

Todavia, muitas vezes, a palavra-chave também é um tópico autônomo. Mas nem sempre é assim.

Vamos dar uma olhada no exemplo a seguir que nos orienta a definir um tópico a partir de um conjunto de palavras-chave.

5.1.1 - Definindo o tópico a partir de palavras-chave

Palavras-chave

  • O que são os cosméticos orgânicos
  • Qual a diferença de orgânico para vegano?
  • Onde posso comprar cosméticos orgânicos?
  • Como escolher cosméticos orgânicos?

Tópico

Guia de cosméticos orgânicos para iniciantes.

Anteriormente aqui no nosso curso de SEO pedimos que você imaginasse ser o dono de um e-commerce de cosméticos naturais. Além disso vamos imaginar que você também tem um Blog para falar sobre o mesmo tema. Logo você encontrou várias palavras-chave como:

  • O que são os cosméticos orgânicos?
  • Qual a diferença de orgânico para vegano?
  • Onde posso comprar cosméticos orgânicos?
  • Como escolher cosméticos orgânicos?

Você pode notar que, embora as palavras sejam diferentes, elas são todas sobre a mesma coisa – cosméticos orgânicos.

Não faria sentido criar uma postagem separada para cada um deles. Em vez disso, nós os agrupamos em um tópico – Guia de cosméticos orgânicos para iniciantes  – e o transformamos em um conteúdo abrangente que pode potencialmente ser classificado para cada uma dessas palavras-chave.

Se você fizer uma pesquisa no Google por cada uma das palavras-chave, notará que os resultados da pesquisa são quase idênticos para todos eles.

Depois de estabelecer o tópico, você pode voltar ao nível de palavras-chave e selecionar aquela que melhor representará seu tópico – a palavra-chave principal (também chamada de palavra-chave foco).

O princípio básico da estratégia de conteúdo para SEO é simples:

Para uma página

Um único tópico

E uma única palavra-chave principal

Para selecionar a palavra-chave principal, você deve seguir os princípios de pesquisa de palavras-chave que cobrimos no capítulo anterior deste curso de SEO. Não se esqueça de considerar o volume de pesquisa, grau de dificuldade e a relevância.

5.1.2 - Como organizar os tópicos?

Uma boa maneira de planejar e organizar seus tópicos é usar os chamados hubs de conteúdo. Um hub de conteúdo é um conjunto de páginas relacionadas a um determinado tópico.

As páginas estão interligadas e fornecem uma visão geral do tópico, bem como percepções mais profundas dos subtópicos.

Existem dois tipos de conteúdo para conseguir isso:

  • Conteúdo pilares – uma página de conteúdo pilar  fornece uma visão geral de um tópico amplo, geralmente direcionado a uma palavra-chave ampla (por exemplo, cosméticos);
  • Conteúdo clusters – as páginas de suporte que se concentram em subtópicos dentro do tema em detalhes (por exemplo, cosméticos naturais, cosméticos veganos, cosméticos biodegradáveis).
Curso de SEO - modelo de hub de conteúdo
Curso de SEO - modelo de hub de conteúdo.

Essa estratégia tem vários benefícios:

  • Ela fornece mais valor para seus leitores ao cobrir cada tópico em detalhes – eles não precisam visitar outros sites para aprender tudo sobre um determinado tópico;
  • Você é forçado a planejar e estruturar seu conteúdo e cobrir todas as palavras-chave importantes de seu nicho sistematicamente;
  • ela aumenta sua autoridade em certos tópicos interligando páginas que estão intimamente relacionadas ao tópico.

5.1.3 - Segmente seus tópicos por intenção

Ao selecionar os tópicos para o seu conteúdo, lembre-se de que existem vários tipos de intenção de pesquisa: informativo, de navegação, transacional e comercial. Já vimos isso anteriormente aqui no nosso curso de SEO.

Não se preocupe em  vender em cada postagem. Ao se concentrar em vários tipos de intenção de pesquisa (incluindo o informativo), você será capaz de atingir vários estágios da jornada de compra.

Como benefício adicional:

  • Você se estabelecerá como uma autoridade na sua área de atuação;
  • Irá construir confiança e reconhecimento para sua marca;
  • Alcançará novos usuários que poderão se tornar clientes mais tarde.

5.2 - Otimização da palavras-chave principal

Uma vez que você tenha uma palavra-chave principal, você deve usá-la para otimizar sua página para um determinado tópico.

Listamos a seguir  todos os elementos possíveis onde você pode usar a palavra-chave principal:

  • Tag de título e meta-descrição;
  • URL;
  • Título e subtítulos;
  • corpo do texto;
  • Metadados de imagem;
  • Texto âncora dos links internos.
Curso de SEO - otimização da palavra-chave principal
Curso de SEO - otimização da palavra-chave principal.

5.2.1 - Tag de título e meta-descrição

Colocar a palavra-chave principal escolhida na tag de título  é muito importante. Idealmente, o mais próximo possível do início.

Se você escrever sobre um determinado tópico, é natural que a palavra-chave principal apareça nos elementos da página que resumem o conteúdo da página.

Veja a seguir o resultado de uma pesquisa para “cosméticos orgânicos”. O link para o artigo do site Metrópoles tem o termo pesquisado no título do artigo e na meta-descrição. Certamente o termo pesquisado é a palavra-chave do  artigo em questão.

Curso de SEO - exemplo titulo e meta-descrição para cosmeticos organicos
Curso de SEO - Exemplo de palavra-chave no titulo e na meta-descrição.

5.2.2 - URLs

As URLs devem ser curtas e fáceis de ler. Não é o fator mais importante de SEO mas pode ajudar.

Um dos seus benefícios: se alguém criar um link para sua página apontando para uma URL simples, o backlink incluirá sua palavra-chave de foco.

5.2.3 - Títulos e corpo do texto

É uma prática recomendada usar sua palavra-chave principal no título H1 da página. Se for o caso, pode ser usado em algumas dos subtítulos.

5.2.4 -Metadados das imagem

Você pode inserir a palavra-chave principal em vários metadados da imagem, a saber:

  • nome do arquivo da imagem;
  • título da imagem;
  • legenda da imagem;
  • texto alternativo da imagem.

O texto alternativo é o mais importante do ponto de vista de SEO – ele descreve a imagem para visitantes com deficiência visual, bem como os bots rastreadores que também não reconhecem imagens. Por outro lado, isso não significa que seja necessário colocá-la em todos esses lugares.

5.2.5 -Texto âncora dos links internos

Por último, mas não menos importante, você deve usar a palavra-chave principal no texto âncora de seus links internos.

O texto âncora é a parte visível do link. Se ele contiver a palavra-chave principal, você informa ao Google do que se trata a página para a qual está criando um link.

5.3 - Qualidade do conteúdo

Hoje em dia, a classificação de quase todas as palavras-chave é muito mais difícil do que no passado – a maioria dos nichos está supersaturada.

Mas há uma estratégia que funciona perfeitamente. Em outras palavras, criar conteúdo pelo menos 10 vezes melhor do que seus concorrentes.

Mas o que significa isso na prática? É o que veremos a seguir.

Curso de SEO - como criar conteúdo 10X.

5.3.1 - Melhor qualidade

Em primeiro lugar procure cobrir o tópico de forma mais completa do que seus concorrentes. Pesquise as páginas com melhores classificação e tentar descobrir o que pode ser feito melhor. Em seguida:

  • Forneça informações e dados mais atualizados;
  • Promova uma experiência melhor  (por exemplo insira informações de especialistas);
  • Dê confiabilidade (cite fontes confiáveis);
  • Procure ser original, utilize dados exclusivos, forneça novos ângulos, faça experiências
    Link para outros recursos relevantes de alta qualidade.

Não tenha receio de vincular seu conteúdo  a outros sites relevantes para o que o usuário procura, pensando que você irá mandar seus visitantes embora. A verdade é que criar links para outros recursos de qualidade pode ser bom do ponto de vista de SEO.

O link para conteúdo relevante ajuda a fortalecer os sinais de tópicos de suas páginas. Pode ajudar o Google a entender melhor o contexto do seu site e agrega valor aos visitantes.

5.3.2 - Melhor design

  • Utilize um layout exclusivo para seus conteúdos mais importantes;
  • Adicione mídia visualmente deslumbrante (ilustrações, infográficos, gráficos, gifs, capturas de tela, vídeos);
  • Use suas próprias ilustrações e evite fotos de banco de imagens.

5.3.2 - Melhor User Experience

  • Certifique-se de que o texto seja legível (tipo e tamanho da fonte) e livre de erros gramaticais;
  • Evite textos longos – escreva parágrafos curtos e fáceis de digerir;
  • Utilize elementos de navegação (por exemplo, índice) para páginas mais longas;
  • Use citações, caixas de informação, listas com marcadores, frases em negrito;
  • Otimize os aspectos técnicos.

5.4 - Tamanho do conteúdo

Muitas pessoas pensam que o comprimento do conteúdo é um dos fatores de classificação. Elas têm razão: conteúdo mais longo produz classificações de pesquisa mais altas.

Há estudos que demonstram que o conteúdo mais longo domina a primeira página dos rankings de busca. A SerpIQ realizou um estudo mapeando os 10 principais resultados em consultas de pesquisa por comprimento de conteúdo. Confira o gráfico a seguir.

O primeiro resultado normalmente tem 2.416 palavras e o décimo resultado tem 2.032 palavras. Isso mostra que o Google prefere sites ricos em conteúdo.

O fato de nenhum dos resultados em uma página média ficar abaixo de 2.000 palavras é bastante atraente por si só.

A conclusão que se tira é de que o Google não decide a classificação de uma página simplesmente observando sua contagem de palavras.

Embora o comprimento do conteúdo esteja claramente relacionado a melhores classificações de busca, os fatores que realmente ajudam o Google a classificar as páginas são apenas possíveis devido ao conteúdo de formato longo.

Se isso ainda parece confuso, a esta altura do nosso curso de SEO não se preocupe. Afinal isso dá porque há muitos elementos envolvidos no desempenho de SEO do conteúdo.

Curso de SEO - Gráfico demonstrando que o conteúdo mais longo domina a primeira página dos rankings de busca.

5.4.1 - Como dimensionar o tamanho do conteúdo

Levante a quantidade média de palavras das páginas classificadas nos primeiros lugares na busca para sua palavra-chave principal. Dessa forma você terá uma ideia aproximada do tamanho do conteúdo que você irá produzir. Por exemplo, se essa média for superior a 2.000 palavras, seu artigo não se classificará se tiver  1.000 palavras.

Cubra o tópico de uma forma abrangente de tal forma que um leitor potencial encontre tudo que queira saber sobre ele no seu artigo.

Em último lugar,  tenha em mente que um grande número de palavras por si só não melhora sua classificação. Concentre-se na qualidade do conteúdo e, não apenas na quantidade de palavras.

5.5 - Degradação do conteúdo

A degradação do conteúdo é uma coisa real e séria a se levar em conta na sua estratégia de conteúdo.  

Não importa o sucesso obtido pelo  conteúdo que você já produziu. Fatalmente, cedo ou tarde,  o tráfego irá diminuir gradualmente. Entretanto você pode minorar o problema mantendo o  conteúdo atualizado.

As postagens em blogs de sucesso compartilham um ciclo comum de vida útil do tráfego composto de cinco fases:

  • Pico – A fase de quando a postagem é publicada pela primeira vez;
  • Baixa – Uma fase em que parece que o crescimento está estagnado;
  • Crescimento – Uma fase  na qual as visualizações de página aumentam durante alguns meses;
  • Platô – A fase em que o crescimento se estabiliza;
  • Decadência – a fase em que o tráfego começa a diminuir.
Curso de SEO - estágios do ciclo de vida do conteúdo
Curso de SEO - Estágios do ciclo de vida do conteúdo.

5.6 - Como garantir a atualização do conteúdo

Para garantir que suas postagens não caiam no esquecimento é indispensável submetê-las a atualizações regulares.  Trata-se aqui de uma técnica de SEO não somente importante como também simples. Todavia muitas vezes negligenciada.

Uma das razões pelas quais as atualizações de conteúdo podem ter um impacto positivo em suas classificações é que o Google percebe a frequência das atualizações e tende a favorecer as páginas que são atualizadas com mais frequência.

Mesmo que seu artigo não requeira qualquer atualização de conteúdo, você deve fazê-lo.

Super dica: há uma  ferramenta gratuita que se conecta à sua conta do Google Analytics e identifica as páginas que podem precisar de uma atualização com base na diminuição do tráfego. Experimente ela. Animalz.

5.5.1 - Atualizar versus republicar

Primordialmente, pequenas mudanças em suas postagens e  páginas não exijam nenhuma ação especial. Contudo vale a pena republicar a postagem para que volte a aparecer no topo do feed do blog. Dessa forma os leitores sabem que a postagem passou por uma grande atualização.

Veja a seguir alguns casos para se considerar republicar uma postagem:

  • A atualização afetou mais de 50% do conteúdo;
  • Foi adicionada uma quantidade significativa de novo conteúdo;
  • Mesclou-se duas ou mais postagens em uma única.

A republicação é uma ótima oportunidade para promover uma postagem novamente nas mídias sociais e na newsletter. De maneira idêntica para iniciar uma nova campanha de link building.

6) SEO on-page

6.1 - Links internos

A criação de links internos dentro do seu site é um instrumento de SEO extremamente importante para dar contexto ao Google. Em contrapartida ele é muito negligenciado.  Veja a seguir o porquê deles serem tão importantes.

  • Os links internos melhoram a rastreabilidade do seu site. Se suas páginas estiverem bem interligadas, os rastreadores do Google terão um trabalho mais fácil para localizar e indexar todas as páginas do seu site.
  • Aprimoram a experiência do usuário e o engajamento. Quando um site possui uma navegação clara, seus visitantes encontrarão o que precisam com mais facilidade. Com links contextuais relevantes, os visitantes do site se entreterão por mais tempo com seu conteúdo em vez de deixar o site para encontrar as respostas em outro site.
  • Aumentam a classificação do seu site. Os links internos transferem relevância e autoridade. Se uma página tiver muitos links internos relevantes com textos âncora descritivos, o Google entenderá melhor a página vinculada. Da mesma forma ele irá considerá-la importante dentro da estrutura de seu site e dará mais destaque a ela.

Super dica: Qualquer página ou post no seu site deve estar a no máximo 3 cliques de distância de sua página principal.

Curso de SEO - estrutura de links internos
Curso de SEO - Estrutura de links internos.

6.1.1 - Utilize elementos de navegação claros

A chave para ter um site bem linkado é ter elementos de navegação devidamente estruturados.

As pessoas estão acostumadas a navegar pelos sites de uma determinada maneira. Portanto devemos nos esforçar para tornar esse processo o mais fácil e claro possível para elas.

  • Menu – um elemento de navegação principal que deve ser claro e descritivo.
  • Breadcrumbs – muito úteis se você tiver uma estrutura mais profunda de páginas aninhadas.
  • Categorias – categorize seu conteúdo em categorias lógicas para que as pessoas possam encontrar conteúdo semelhante facilmente.

6.1.2 - Link do corpo da página

Além dos links internos estruturais, é uma boa prática também criar links para outras páginas relevantes de dentro do corpo da página.

Esses links incluem links contextuais no texto ou caixas de “leitura adicional” que direcionam para outras páginas do seu site que podem ser interessantes para o seu visitante.

Duas dicas práticas:

  • Toda vez que você for publicar um novo artigo, pense sobre outros conteúdos que o leitor pode achar interessante. Em seguida crie um link para ele contextualmente.
  • Depois que o novo artigo ou página for publicada, adicione alguns links internos de outras páginas relevantes para o tópico.

6.2 - Sitemaps

o sitemap é uma lista estruturada de todas as páginas de um site disponíveis para serem rastreadas pelo Google e outros buscadores. Disponibilizar um sitemap torna mais fácil o trabalho para os rastreadores encontrarem todas as suas páginas.

Segundo o Google os seguintes tipos de sites se beneficiarão ao possuir um sitemap:

  • Grandes sites com centenas ou milhares de páginas;
  • Novos sites com poucos ou nenhum backlinks;
  • Aqueles sites que não possuem muitos links internos;
  • Todos os sites com muitos arquivos de mídia.

Se você não sabe como criar um sitemap  e seu site é feito no WordPress , recomendamos a criação do sitemap com o plugin Yoast.

Visite o sitemap da Wedoiti e veja como é sua estrutura.

6.3 - HTTPS

É mandatório utilizar  um certificado SSL no seu site. Existem varias opções gratuitas.

A segurança dos visitantes do seu site deve ser uma prioridade para você.

Não apenas pelos motivos óbvios, mas também porque o uso do protocolo HTTPS é um fator de classificação para o Google. Em outras palavras, seu site pode ter um desempenho pior no Google se você não usar HTTPS.

6.4 - Acesso móvel

Desde 2019, o Google passou a priorizar os dispositivos móveis. Isso significa que a maioria dos sites é rastreada e indexada em sua versão móvel em vez da versão desktop.

Ter um site compatível com dispositivos móveis é uma tarefa de SEO essencial. Na prática, significa:

  • Ter layout responsivo;
  • Menu fácil de navegar em dispositivos móveis;
  • Imagens comprimidas;
  • Ausência de pop-ups agressivos;
  • Fonte legível.

Se você não tiver certeza se seu site é compatível com dispositivos móveis, pode testá-lo com esta ferramenta do Google ou acessar o Search Console e ver se há algum problema na seção de usabilidade em dispositivos móveis.

6.5 - Velocidade da página

A velocidade da página é um dos aspectos mais importantes do SEO on page e um fator essencial de User Experience. Ninguém está disposto a esperar mais do que alguns segundos para que uma página carregue.

Além do mais, a velocidade da página é um fator de classificação prioritário para o Google.

Existem muitas ferramentas úteis que o ajudarão a medir a velocidade da página e encontrar os problemas mais comuns. Aqui vão três sugestões:

Curso de SEO - teste da wedoiti pelo page speed insights
Curso de SEO - Teste do site da Wedoiti pelo page speed insights.

Dicas: vamos listar na sequência as principais práticas recomendadas para manter a velocidade de sua página em um nível satisfatório.

6.5.1 - Contrate um bom serviço de hospedagem

A hospedagem é a primeira coisa que influencia a velocidade de um site.

Se a sua hospedagem tiver um tempo de resposta do servidor ruim, Não muito o que você possa fazer com qualquer otimização posterior.

Não espere um desempenho satisfatório de provedores que oferecem hospedagem por menos de R$ 150,00  / mês para um site.

6.5.2 -Implemente um cache

o cache é um processo no qual partes de sua página são guardadas por seu servidor ou pelo navegador do visitante para tornar o próximo carregamento mais rápido.

Existem dois tipos principais de armazenamento em cache:

  • Navegador – o cache é feito no lado do usuário; se você usa WordPress, pode usar um dos muitos plug-ins como WP Rocket ou W3 Total;
  • Servidor – geralmente fornecido como parte dos serviços de hospedagem.

6.5.3 -Implemente uma CDN

Uma CDN (rede de distribuição de conteúdo)  utiliza tecnologia de cache para armazenar uma cópia do site em diversos servidores locais ao redor do globo. Portanto, não importa de onde os visitantes de um site estão acessando – São Paulo, Rio de Janeiro, Nova York ou Londres por exemplo – todo o conteúdo do site que é entregue a eles virá do servidor local mais próximo de onde eles estão localizados. Como resultado, os tempos de carregamento são muito mais rápidos e a experiência do usuário é aprimorada.

Utilizamos aqui na Wedoiti a Cloudflare como CDN. Além de ajudar a aumentar o desempenho e a velocidade do seu site, ela também tem um forte componente de segurança que protege o site de uma infinidade de ameaças.

Um terceiro componente que a CDN nos permite é gerenciar adequadamente os registros de DNS (registros A, MX, CNAME, SPF) – Com a CDN, ele são configurados e atualizados adequadamente para evitar spam, ataques DDoS entre outras ameaças. Além disso, toda a comunicação entre o site e seus usuários é protegida por um certificado SSL (Secure Socket Layer) que faz a criptografia dos dados que estão sendo transferidos entre ambas as partes.

6.5.4 -Considere usar o AMP

A tecnologia AMP(Accelerated Mobile Pages) permite uma distribuição de conteúdo mais rápida em dispositivos móveis. Na prática, significa que o conteúdo é veiculado em uma versão mais simples e reduzida de sua página em smartphones.

Pode ser muito útil para sites com muito conteúdo (como revistas de notícias ou blogs maiores). Se seu site é WordPress, há um plug-in oficial de AMP para ajudá-lo com a implementação.

6.5.5 -Limite os scripts de terceiros

Quaisquer scripts de terceiros que você venha a usar em seu site aumentará o tempo necessário para o carregamento de uma página. Entre eles se incluem:

  • Plugins WordPress;
  • Scripts de análise e remarketing;
  • Serviços de comentários (por exemplo, Disqus);
  • Widgets de bate-papo;
  • Entre muitos outros.

Isso não significa que você não deva utiliza-los. Basta seguir algumas regras básicas:

  • Use apenas os serviços de que realmente precisa. Isso é especialmente importante com plugins do WordPress;
  • Não use um plugin específico para cada pequeno recurso em seu site. Quanto mais plugins  mais lento será seu site;
  • Se possível, atrase a ativação de scripts de terceiros para que sejam carregados somente após alguns segundos ou quando o visitante rolar a página para baixo.  Isso pode ser aplicado, por exemplo,  a serviços de comentários, bem como widgets de bate-papo.

6.5.6 -Otimize suas imagens

Arquivos de imagem grandes são um dos fatores mais comuns que causam lentidão no carregamento da página. Aqui estão algumas práticas de otimização de imagens para garantir que suas imagens não sejam muito grandes:

a) Use o tipo de arquivo correto
Usar o formato de arquivo de imagem correto pode ajudá-lo a obter uma melhor qualidade de imagem e reduzir o tamanho do arquivo.

  • JPEG – fotos
  • PNG – desenhos de linha, capturas de tela, imagens que contêm texto
  • GIF – imagens animadas
  • SVG – logotipos, ícones, ilustrações simples

b) Redimensione as imagens

Muitas pessoas fazem upload de imagens simplesmente grandes demais. Se a largura da área de conteúdo do seu blog é 800 px, é um exagero usar imagens de 2500 px de largura.

Antes de enviar uma imagem para o servidor, use um editor de imagens para redimensionar a imagem para caber na largura do seu site. Pode ser um pouco mais largo, mas raramente você precisa de um tamanho maior (especialmente com fotos).

c) Comprima as imagens

A compactação de imagem é um processo que remove alguns dados de imagem desnecessários enquanto preserva a qualidade dela.

É possível fazer isso manualmente e tentar encontrar a melhor relação entre qualidade e tamanho do arquivo ou automatizar todo o processo com um plugin (por exemplo, Imagify, ShortPixel, Tiny PNG).

d) Considere o carregamento lento

O carregamento lento é um processo simples em que o conteúdo visível acima da dobra da página tem prioridade e o restante é carregado um pouco mais tarde. É muito útil para páginas com muitas imagens.

6.6 - Texto alternativo de imagens - Alt text

O texto alternativo de imagens (também chamado de tag alt) é um elemento de texto no código HTML que descreve a imagem e aparece se a imagem não puder ser carregada.

É muito importante por 2 motivos:

  • Da perspectiva da experiência do usuário – o leitor de tela pode ler o texto alternativo para visitantes com deficiência visual;
  • Do ponto de vista do SEO – o texto alternativo fornece um contexto melhor para os rastreadores, pois eles não conseguem deduzir o que contém a imagem.

Um bom texto alternativo tem as seguintes características:

  • Descreve a imagem da melhor maneira possível;
  • É curto. Entre cinco e dez palavras;
  • Não contém palavras-chave em excesso. 

Além dos textos alternativos, você também deve usar:

  • nomes descritivos para o arquivo de imagem (maça vermelha.jpeg é sempre melhor do que DCIM1453.jpeg);
  • Título e descrição da imagem;
  • legendas (opcional).

6.7 - Tag de título e meta-descrição

A tag de título e a meta-descrição são elementos HTML que representam o título e a descrição da página. Eles são exibidos nos resultados da pesquisa ou quando a página é compartilhada nas redes sociais.

Curso de SEO - Exemplo de titulo e meta-descrição numa pesquisa do Google
Curso de SEO - Exemplo de título e meta-descrição numa pesquisa do Google.

Eles são cruciais do ponto de vista de SEO. Uma tag de título e uma meta-descrição bem escritas são sua única chance de chamar a atenção do usuário na pesquisa do Google.

Relacionamos a seguir algumas dicas sobre como escrever uma boa tag de título e meta- descrição.

6.7.1 - Inclua a palavra-chave principal

Como já mencionamos anteriormente, a tag de título e a meta-descrição de uma página é um bom lugar para colocar sua palavra-chave principal.

A prática recomendada é colocar a palavra-chave principal próxima ao início da tag de título. Entretanto, não é obrigatório e não force a barra para isso.

6.7.2 -Preste atenção ao cumprimento

O limite de comprimento é de 600 px para a tag de título e 960 px para a meta-descrição.

Se eles forem muito longos, serão truncados pelo Google. Dessa forma, a má experiência pode diminuir a taxa de cliques.

Para garantir que o título e a meta-descrição tenham o comprimento correto, utilize o Yoast.

Curso de SEO - exemplo de validação de titulo e meta-descrição utilizando o Yoast
Curso de SEO - Exemplo de validação de titulo e meta-descrição utilizando o Yoast.

6.7.3 -Como se destacar

Estes são alguns elementos que você pode usar para tornar sua tag de título exclusiva:

  • pergunta;
  • número;
  • ano;
  • uma palavra em maiúsculas;
  • colchetes;
  • sua marca.

6.8 - Snippet em destaque (feature snippet)

O snippet em destaque (às vezes chamado de “posição zero”) é um resultado de pesquisa selecionado que aparece acima dos 10 resultados padrão na pesquisa do Google. Seu objetivo é responder à dúvida do usuário diretamente na SERP.

Aqui está um exemplo típico:

Curso de SEO - exemplo de feature snippet na página de pesquisa do Google
Curso de SEO - Exemplo de feature snippet na página de pesquisa do Google.

Existem 3 tipos principais de snippets em destaque:

  • Parágrafo – geralmente uma resposta curta a como, quem, por que, quando ou que pergunta;
  • Lista – principalmente instruções passo a passo ou receitas;
  • Tabela – frequentemente mostrada para gráficos de comparação, tabelas de dados, etc.

A maior vantagem de ter um snippet em destaque é que você pode superar seus concorrentes, mesmo que sua página tenha uma posição inferior.

Muitas páginas que aparecem em snippets em destaque não são classificadas em primeiro lugar. Elas normalmente apareceriam na 2ª, 3ª ou até mesmo da segunda página em diante.

Então, como obter um snippet em destaque?

6.8.1 - Procure por palavras-chave com snippets em destaque

Um ótimo lugar para começar é por uma ferramenta de pesquisa de palavras-chave, na qual você pode procurar especificamente por palavras-chave de perguntas.

Tanto o Semrush como o Ahrefs podem lhe ajudar com esta tarefa.

Uma outra possibilidade é avaliar, logo a seguir ao snippet apresentado na figura anterior a seção “As pessoas também perguntam”.  Veja o que veio na mesma pesquisa para “como aprender a fazer cosméticos naturais”:

  • Como começar a fazer cosméticos naturais para vender?
  • O que precisa para fazer cosméticos naturais?
  • Como começar a produzir cosméticos?

6.8.2 - Responda a pergunta em primeiro lugar

A chave para aparecer no snippet em destaque é responder à pergunta o mais rápido possível na página. Este estilo de escrita é denominado “estilo de escrita da pirâmide invertida”.

Curso de SEO - piramide invertida do estilo de escrita
Curso de SEO - Exemplo de feature snippet na página de pesquisa do Google.

Isso significa que você fornece a definição primeiro e depois continua com os detalhes de suporte.

6.8.3 - Tenha um número ideal de palavras

Não é possível marcar o texto exato que deve aparecer em um trecho em destaque. O Google selecionará a parte do seu texto automaticamente.

No entanto, você deve otimizar o comprimento do texto do snippet assumido para que ele se encaixe no comprimento usual do snippet em destaque.

A maioria dos trechos apresentados tem um comprimento de 40-50 palavras.

6.8.4 - Investigue seus concorrentes

Veja o que funciona para seus concorrente. Parta do princípio de que já existe um snippet em destaque e inspire-se com o que funciona para seu concorrente.

Veja coisas como:

  • tipo de snippet (parágrafo, lista, tabela);
  • comprimento do texto;
  • colocação do texto na página;
  • presença de imagens.

7) Backlinks e link building

7.1 - O que são backlinks?

Um backlink é um link de uma página para outra. Se a página A tiver um link para a página B, dizemos que a página B tem um backlink da página A.

Backlinks são um dos elementos de classificação mais importantes. Existe uma correlação direta entre a quantidade e a qualidade dos backlinks e classificações.

Curso de SEO - o que é um backlink
Curso de SEO - o que é um backlink.

7.1.1 - Por que os backlinks são tão importantes?

Os backlinks têm sido um fator de alta influência nos algoritmos do Google e demais motores de busca desde os primórdios do SEO.

Eles funcionam como citações acadêmicas. Os desenvolvedores dos mecanismos de pesquisa perceberam que, se muitos recursos de qualidade direcionam para uma determinada página, isso significa que a página é valiosa e confiável.

7.1.2 - Equidade de link ou link juice

A equidade de link ou link juice é um termo usado para descrever a autoridade que uma página transfere para outra página por meio de um link.

7.1.3 - Google PageRank

No seu início, o Google criou um algoritmo chamado PageRank para incorporar a qualidade e a quantidade de backlinks em seu algoritmo de classificação e determinar a importância relativa das páginas nos resultados de pesquisa.

Os três fatores que influenciam o PageRank de uma página são:

  • Quantidade de backlinks – quanto mais backlinks uma página tiver, melhor;
  • Número de links na página de link – o valor (chamado autoridade do link) é distribuído entre todas as páginas vinculadas à página de link;
  • PageRank da página de link – um backlink de uma página com PageRank mais alto passa mais autoridade de link.

Não confunda o elemento de classificação do algoritmo do Google, o PageRank com uma métrica usada antigamente também pelo Google, de mesmo nome que era usada pelo Google. O antigo PageRank exibia a classificação das páginas com um valor entre 0 a 10.

Portanto, eles não são os mesmos e, embora a métrica do PageRank tenha sido descontinuada, o algoritmo do PageRank ainda faz parte da classificação do Google.

Curso de SEO - como o pagerank funciona
Curso de SEO - como o pagerank funciona.

7.2 - Tipos de links

Os links podem ser classificados em várias categorias. Os principais são:

  • Internos – Um link interno é um link de uma página para outra dentro do mesmo site;
  • Externos – é um link de um site externo;
  • Nofollow – Um link nofollow é um link que contém um atributo rel = ”nofollow” em seu código HTML.

7.2.1 - Entendendo o link nofollow

O link nofollow  foi introduzido pelo Google em 2005. Primordialmente ele sinaliza para o algoritmo do Google que  não passe a autoridade do link para a página vinculada. As instâncias em que o atributo nofollow pode ser usado incluem:

  • Links nos comentários – ajuda a combater o spam de comentários, pois torna os links nos comentários menos valiosos);
  • No caso de links de afiliados e patrocinados – com o atributo nofollow, se evita incorrer na violação das regras do Google sobre a compra de backlinks;
  • Links para sites que não se deseja endossar – às vezes é necessário criar um link para páginas que não se deseja endossar.

Embora os links nofollow não passem autoridade, eles podem trazer benefícios:

  • Servem como uma dica para o Google – em 2019, o Google anunciou que passaria a tratar os links nofollow como dicas para entender e analisar melhor os links;
  • Geram tráfego – um link nofollow  pode trazer tráfego relevante;
  • Diversificam o  perfil de links – os links nofollow são uma parte natural de todo perfil de links e seria estranho não ter nenhum.

Super dica de esclarecimento

Você certamente irá ler muito conteúdo na forma de artigos, propaganda, etc. que falam de links dofollow .Desde já, tenha em mente que:   não existem backlinks dofollow, pois não há parâmetro dofollow. O termo é usado coloquialmente para diferenciar links que transmitem equidade de link em oposição a links nofollow.

Curso de SEO - o que é um link nofollow
Curso de SEO - o que é um link nofollow.

7.3 - Perfil de links

Perfil de links é um outro termo importante de SEO. Ele é usado para descrever todos os links que apontam para um dado site.

A qualidade do seu perfil de links está diretamente relacionada às suas classificações.

Duas características essenciais de sites com um bom perfil de links:

  • Diversidade – sites com um perfil de links saudável possuem uma mistura de vários tipos de links (padrão e nofollow) e textos âncora naturais;
  • Backlinks de qualidade – um bom perfil de links possui backlinks de qualidade, oriundos de sites relevantes.

Todavia, muitos links de baixa qualidade de sites com spam serão ignorados na melhor das hipóteses e possuem alto potencial de prejudicar o seu site.

o que é texto âncora
O que é texto âncora.

7.3.1 - Texto âncora

O texto âncora é uma parte visível e clicável de um hiperlink. Ajuda os rastreadores a indicar do que se trata a página vinculada.

Diferenciamos vários tipos de textos âncora:

  • Nome da marca – por exemplo Wedoiti;
  • Correspondência exata – por exemplo “Curso de SEO”;
  • Correspondência parcial – por exemplo “Guia prático de SEO”;
  • Genérico – por exemplo “Mais informações”;
  • URL sem www – por exemplo “https://wedoiti. com/blog/curso-de-seo-um-guia-completo-de-seo-para-iniciantes/”.

Se mais páginas apontam para seu site com termos relevantes usados nos textos âncora, isso pode ajudá-lo a classificar esses termos nos motores de busca.

Entretanto não force a exagere para obter textos âncora recheados de palavras-chave a qualquer custo.

Muito pelo contrário, procure buscar uma mistura natural de vários tipos de texto âncora.

Qualquer tentativa óbvia de manipular o texto âncora de seus links pode ser detectada e penalizada pelo Google.

Para se aprofundar mais sobre o tema, recomendamos a leitura desse artigo no blog da Semrush:  Texto Âncora: O Que São, Porque São Importantes e Quais São as Melhores Práticas de Uso.

7.4 - Quais são os atributos de um backlink valioso?

Nem todos os backlinks são criados da mesma forma. Além das diferenças óbvias entre links internos e externos e links padrão e nofollow, dois backlinks podem ter valores diferentes (e passar diferentes quantidades de autoridade do link) com base em muitos outros fatores. Vamos ver a seguir alguns pontos que tornam um backlink valioso.

7.4.1 - Relevância

Um backlink valioso é topicamente relevante. Em outras palavras,  a página de origem do backlink deve ser sobre o mesmo tópico ou um tópico semelhante à página de destino do backlink.

Por exemplo: seu blog tem um artigo de dicas sobre cosméticos orgânicos para o corpo e dois backlinks. O primeiro vem um de um post sobre cuidados com a pele e o segundo de um post sobre futebol. O primeiro backlink é mais valioso que o segundo.

7.4.2 - Oriundos de um site com autoridade

Páginas que possuem links de qualidade apontando para suas páginas também passam valor e autoridade para elas

Quanto mais confiável for a página de link, mais valor o backlink terá para o site que o receberá.

Não existe uma métrica oficial do Google que represente a autoridade de uma página, mas existem muitas métricas de ferramentas comerciais que podem ajudá-lo com a estimativa.

Os mais populares são a Autoridade de Domínio e a Autoridade de Página da Moz e Ahrefs.

7.4.3 - Exclusividade

O fator de exclusividade de um backlink pode ser abordado em vários níveis:

a) Nível do site- Um novo backlink, de um site que não tenha anteriormente direcionando um link dele para o seu site é mais valioso do que aquele oriundo de um site que já tem um ou mais  backlinks apontando para o seu. Em suma, é melhor ter 10 backlinks de 10 sites diferentes do que 50 backlinks do mesmo site.

b) Nível da página – Se você tiver dois links da mesma página, o que aparece primeiro pode ter mais valor do que o segundo. O Google costumava contar apenas o primeiro texto âncora em 2009. Fora do Google, ninguém sabe ao certo como eles os tratam hoje em dia, mas podemos presumir que não mudou.

c) Número de outros links – Por último, mas não menos importante, o PageRank é distribuído igualmente nas páginas vinculadas.  Portanto, há uma grande diferença entre um backlink de uma página com links para 3 recursos e um backlink de uma página com links para 30 recursos.

7.4.4 - Posicionamento próximo ao topo

Um link de qualidade é aquele que gera tráfego para um site. Não somente por trazer novos usuários como também do ponto de vista do SEO.

O Google usa o chamado Reasonable Surfer Model, que prevê a probabilidade de um usuário clicar em um link. Ele analisa diferentes probabilidades envolvendo a possibilidade de uma pessoa clicar em links específicos com base nos recursos associados a esses links. Essas possibilidades podem determinar a probabilidade de alguém clicar nesses links. Por exemplo, a quantidade de PageRank que um link pode passar é baseada na probabilidade de alguém clicar em um link.

De uma outra forma, quanto mais proeminentemente um backlink é colocado, mais peso ele é dado pelo Google.

Em outras palavras, um backlink da parte superior de um artigo é melhor do que um backlink da parte inferior. E o backlink da parte inferior do artigo é melhor do que aquele no rodapé ou na barra lateral.

7.5 - Devemos fazer link building?

No mundo ideal bastaria criar conteúdo de qualidade para ganhar backlinks.  Entretanto, no mundo real,  isso é mais complicado do que parece.

Em primeiro lugar, é muito difícil obter backlinks de qualidade sem nenhum esforço adicional. Principalmente sem se tratando de novos sites.

Em segundo lugar, é quase impossível classificar um site sem backlinks. Logo é por isso que o link building deve ser uma parte importante de sua estratégia de  SEO. 

Vale ressaltar que o  Google não é um grande fã de qualquer tentativa de manipular o PageRank de um site. Aqui está o que eles declaram em suas Diretrizes de qualidade: “Quaisquer links com a intenção de manipular o PageRank ou a classificação de um site nos resultados de pesquisa do Google podem ser considerados parte de um esquema de violação das Diretrizes para webmasters do Google.”

Mas a interpretação ao de forma literal não significa que você não pode tentar influenciar a quantidade e a qualidade de backlinks para seu site. Nem todas as formas de link building manipulativas. Existem algumas boas práticas que podem ajudar a obter backlinks e, ao mesmo tempo, agregar valor aos usuários.

7.5.1 - Comprar backlinks é uma boa prática?

Antecipadamente, a maioria dos especialistas em SEO dirá que não vale a pena comprar backlinks.

E maioria deles mencionará essas duas principais desvantagens:

  • É arriscado – Se o Google descobrir, seu site receberá uma penalidade. Pode ser de tal monta que seu site possa não vir a se recuperar mais.
    É caro – Um backlink de qualidade não é barato. Aqui no Brasil, considere um valor mínimo de R$ 500,00.

Certamente não é somente  um backlink que fará seu site melhorar sua classificação. Nesse sentido você terá que gastar um bom dinheiro para começar a obter resultados.

Todavia, a indústria de venda de backlinks é grande, ativa e consolidada. Dessa forma a compra de backlinks se tornou uma prática comum.

7.6 - Estratégias de link building

Existem muitas estratégias de link building, entretanto neste curso de SEO abordaremos apenas as 3  mais comuns e que funcionam muito bem.

Quando se trata de avaliar a qualidade de um  backlink, sempre devemos ter em perspectiva  um escopo de métricas abrangentes. Em outras palavras, sua classificação de domínio deve ser minimamente aceitável, deve possuir volume de tráfego orgânico significativo e crescimento positivo no número de domínios de referência etc. No entanto, o critério mais importante é se um site representa uma marca real.

7.6.1 - Ativos vinculáveis

A técnica de link building mais natural é criar uma peça única e valiosa de conteúdo – um assim chamado ativo linkável – que atrairá backlinks.

Um ativo vinculável pode ser qualquer parte do conteúdo, mas existem certos tipos de conteúdo que funcionam perfeitamente para isso. Esses incluem:

  • guias definitivos;
  • grandes listas;
  • pesquisa com dados únicos;
  • diretórios de recursos;
  • ferramentas grátis.

O passo seguinte é encontrar sites que possam ter um link para você e contatá-los.

7.6.2 - Guest blogging ou guest post

O guest blogging, também chamado de “guest post”, é o ato de escrever conteúdo para o site de terceiros. Geralmente, os blogueiros convidados escrevem para blogs semelhantes em seu setor com o principal objetivo de atrair tráfego de volta para seu site.

Pode parecer contraproducente gastar tempo escrevendo artigos para outros sites, quando este tempo e esforço poderia ser usado para criar conteúdo para seu próprio site. Mas as oportunidades que um guest post pode oferecer podem ser expressivas para os objetivos de SEO.

A primeira oportunidade que o guest post promove é permitir que seu conteúdo tenha mais divulgação para seu público-alvo. Dessa forma ela aumenta  o conhecimento de sua marca para clientes em potencial que podem não estar familiarizados ela.

A segunda oportunidade é gerar confiança para sua marca ao oferecer conteúdo de qualidade. Assim as pessoas voltarão para mais. É realmente tão simples quanto isso. A construção de autoridade em seu setor anda de mãos dadas com a construção da confiança do cliente. Ter guest posts em outros sites relacionados ao seu negócio permite que você exiba capacidade e conhecimento de causa naquilo que comercializa.

7.6.3 - backlinks dos concorrentes

Examinar os perfis de backlinks de seus concorrentes é uma ótima maneira de encontrar sites que possam ter backlinks para o seu. 

Tudo o que você precisa é de uma ferramenta de análise de backlinks como o Ahrefs e o Semrush para o ajudar a encontrar os backlinks de seus concorrentes.

As duas ferramentas podem lhe mostrar todos os backlinks dos seus concorrentes. De maneira semelhante algumas informações adicionais sobre eles como autoridade, texto âncora, atributos, etc.

Ao analisar os backlinks de seus concorrentes, você deve considerar:

  • Relevância do link – um backlink desta página seria relevante para o seu conteúdo?
  • Força do link – Qual é a autoridade da página do link?
  • Dificuldade – É possível  obter o mesmo backlink?

Uma vez selecionados os sites que você identificou como fontes prováveis de backlinks siga para o próximo passo.  Em síntese, entre em contato com os proprietários do site para propor a substituição do backlink de seu concorrente ou adicionar um backlink para seu site.

Parceiros e comunidades

Quer saber como podemos ajudá-lo na sua jornada digital ?

Algumas das comunidades em que estamos engajados

Rolar para cima
logotipo da wedoiti

Deixe seus dados que entraremos em contato