11 maneiras para melhorar a performance do site e aumentar suas vendas

Otimize a performance do seu site e maximize sua receita. Siga estas dicas para otimizar a velocidade de carregamento das páginas, aumentar o tráfego e as conversões.

Otimizar, continuamente, a performance do site deveria  estar entre as mais importantes prioridades de toda empresa que precisa melhorar ou expandir sua presença digital.

O aumento das expectativas dos clientes e do uso de smartphones estão ampliando a necessidade de velocidade, principalmente, a móvel. A distância de competitividade aumentará entre as marcas que fornecem uma ótima experiência móvel e aquelas que não o fazem.

Para se manter à frente, as marcas precisam fazer da velocidade do site uma prioridade em toda a organização. Eles devem adotar uma mentalidade que prioriza primeiramente a experiência móvel, introduzindo os processos certos e alocando recursos para monitorar constantemente a velocidade e atuar pró-ativamente na otimização do site.

A velocidade de carregamento das páginas do site é um fator crítico para o sucesso do seu negócio digital e tem um impacto significativo em:

  • Quanto tempo os visitantes permanecem em seu site;
  • Quantos deles se convertem em clientes;
  • Quanto você paga com base no CPC na pesquisa paga;
  • Onde seu site se classifica na pesquisa orgânica.

Infelizmente, a maioria dos sites tem um desempenho ruim no que diz respeito à velocidade de carregamento da página, o que tem um impacto negativo direto em suas receitas e resultados.

Existem inúmeros fatores que influenciam o tempo de carregamento de cada página do seu site e o objetivo deste post é abordar os principais deles. Começando pelos mais simples, com potencial de aumentar a velocidade do site rapidamente e assim melhorar a experiência do usuário e o retorno para o seu negócio.

1 - O serviço de hospedagem afeta a performance do site

Quando não conhecemos de tecnologia e contratamos serviços de hospedagem, tendemos a escolher a opção mais barata possível.

Embora isso possa parecer satisfatório no início de um projeto, quando o site entrar no ar e começar a ter visitação será necessário fazer um upgrade para prover uma boa experiência aos visitantes. Portanto, não economize na contratação da sua hospedagem, escolha uma confiável e que ofereça performance.

Existem basicamente três tipos de hospedagem:

  • Hospedagem Compartilhada;
  • Hospedagem VPS (Virtual Private Server);
  • Hospedagem com Servidor dedicado.

A hospedagem compartilhada é a opção mais barata, nela seu site compartilha recursos como CPU, espaço em disco e memória com outros sites hospedados no mesmo servidor. Você pode contratá-la a partir de R$ 10,00 por mês do UOLHostgator, entre outros provedores. Apesar de custar pouco, não crie expectativas de que receberá uma ótima performance em troca.

Muito pelo contrário, prepare-se para o pior. Definitivamente, se performance é importante para seu site, a hospedagem compartilhada não é a opção certa.

A hospedagem VPS, é um outro modelo de compartilhamento de um mesmo servidor com vários sites, mas com partes dedicadas dos recursos do servidor para cada site. Trata-se de uma opção intermediária entre o bom e o ruim.

Sites profissionais se utilizam somente de servidores dedicados. Como o próprio nome diz ele é totalmente dedicado ao site que hospeda e não compartilha seus recursos com outros sites.

2 - A performance do site melhora com a adoção da compactação

Quanto menores forem seus arquivos, mais rápido eles serão carregados e menores serão os tempos gerais de carregamento. É muito comum nos depararmos com páginas com muitas imagens e outros conteúdos com mais de 100 Kb de tamanho. O resultado disso é que essas páginas demoram para carregar.

Uma das maneiras mais fáceis de promovermos a otimização do site é habilitarmos a compactação dos arquivos para reduzir o tempo de carregamento deles. Uma boa prática adotada pela maioria dos sites profissionais é a compactação com o Gzip.

O Gzip é um formato de arquivo e aplicativo de software que localiza strings de código semelhante nos arquivos de texto e, em seguida, os substitui temporariamente para torná-los menores. Ele funciona bem com arquivos CSS e HTML, porque geralmente eles têm código repetido e espaços em branco. Segundo uma pesquisa do Yahoo, a adoção do Gzip pode reduzir o tempo de download em cerca de 70%. Certamente, uma ótima prática a ser adotada se seu site roda em WordPress, é a instalação de plug-ins como o WP Performance Score Booster entre muitos outros, que são compatíveis com Gzip.

3 - Habilitar o cache do navegador melhora a performance do site

Para carregar uma página o navegador do computador ou dispositivo móvel, precisa baixar todos os arquivos necessários para exibi-la corretamente. Isso inclui arquivos de imagem, HTML, CSS e JavaScript.

Cada arquivo faz uma solicitação separada ao servidor. Quanto mais solicitações o servidor recebe simultaneamente, mais trabalho ele precisa executar, aumentando ainda mais o tempo de carregamento da página.

Há páginas que possuem apenar alguns arquivos e são pequenas no seu tamanho em bytes. Porém, outras podem ter muitos arquivos e alguns deles com vários megabytes.

Arquivos grandes demoram mais para carregar e criam uma experiência sofrível para usuários que possuam uma conexão lenta como a 3G, por exemplo.

O cache do navegador pode ajudar armazenando alguns desses arquivos localmente. Na primeira visita ao site, o navegador levará o mesmo tempo para carregar. No entanto, quando revisitar o mesmo site, ele já poderá ter armazenado localmente alguns dos arquivos de que precisa e assim diminuirá o tempo total de carregamento.

De uma outra forma, a quantidade de dados que o navegador precisará baixar com o cache habilitado será menor e menos solicitações serão feitas ao servidor. O resultado disso é uma melhora na performance do site.

4 - A otimização do site implica em reduzir o tamanho das imagens

As imagens podem impactar significativamente a performance de um site. Elas tendem geralmente a serem muito grandes, o que implica no aumento do tempo de carregamento do site.

Removê-las completamente nem sempre é uma opção. Portanto, é imprescindível uma gestão do site que mantenha aquelas imagens estritamente necessárias aos processos de engajamento e conversão. Adotando-se a moderação no uso das demais imagens, além da já citada implementação de ferramentas de compactação de arquivos.

5 - Utilizar uma CDN melhora a performance do site

Além do servidor que hospeda o site, é possível utilizar outras redes de servidores para diminuir o tempo de carregamento para os visitantes do site.

Uma CDN (Content Distribution Network) armazena o site em um cache de uma rede global de servidores. Quando o navegador de um usuário solicita arquivos do site em questão, essa solicitação é encaminhada para o servidor mais próximo dele.

Existem vários provedores de CDN, como a Cloudflare e Sucuri. É possível começar utilizando uma CDN sem custo algum nos pacotes básicos.

6 - Atue para reduzir as solicitações HTTP

Como já descrito anteriormente, o tempo de carregamento de uma página é gasto no download de diferentes partes da página, como imagens, folhas de estilo e scripts.

Uma solicitação HTTP é feita para cada um desses elementos. Portanto, quanto mais componentes na página, mais tempo leva para a página ser renderizada.

A primeira etapa para minimizar as solicitações HTTP é descobrir quantas o site faz atualmente, para utilizá-lo como referência.

Reduzir este número de solicitações melhorará a performance do site. O Google disponibiliza uma ferramenta a PageSpeed Insights onde é possível fazer uma radiografia completa da experiência e performance do site, incluindo as solicitações HTTP que ele faz.

É muito simples testar qualquer site. Vá lá e verifique como seu site se comporta e também os sites dos seus concorrentes.

7 - Minimize e combine arquivos

Sabendo quantas solicitações o site faz, é possível começar a trabalhar para reduzir esse número. O lugar recomendado para começar é pelos arquivos HTML, CSS e JavaScript.

Esses arquivos definem a aparência do site, mas também aumentam o número de solicitações toda vez que um usuário visita o site. O esforço aqui é para reduzir o número de solicitações, minimizando e combinando esses arquivos.

Minimizar um arquivo envolve a remoção de formatação, espaço em branco e código desnecessário. Entenda-se por código desnecessário aquele que aumenta o tamanho de uma página. Entra aqui a eliminação de espaços extras, quebras de linha e recuos. Com essas ações garantimos que as páginas sejam o mais enxutas possível.

Combinar arquivos é o mesmo que colocar dois ou mais arquivos em um único. Arquivos CSS e JavaScript, podem ser combinados em um único arquivo. Existem várias maneiras de reduzir e combinar arquivos e, se o site foi construído em WordPress, é possível utilizar plug-ins como o WP Rocket, que tornam todo esse processo quase automático.

8 - Adote o carregamento assíncrono para arquivos CSS e JavaScript

Depois do esforço em minimizar e combinar arquivos, passa-se a trabalhar na forma como eles são carregados. Arquivos CSS e JavaScript podem ser carregados de duas maneiras: de forma síncrona ou assíncrona.

Quando se define a forma síncrona, eles serão carregados um por vez, na ordem em que aparecem na página. Se definida a forma assíncrona, alguns deles serão carregados simultaneamente.

Carregar arquivos de forma assíncrona traz oportunidades para acelerar o carregamento das páginas, porque quando um navegador carrega uma página, ele a carrega de cima para baixo. Quando o navegador se depara com um arquivo CSS ou JavaScript que não é assíncrono, o carregamento é interrompido até que o arquivo específico seja totalmente carregado. Se esse mesmo arquivo fosse assíncrono, o navegador poderia continuar carregando outros elementos na página ao mesmo tempo.

9 - Adie o carregamento do JavaScript

Depois de todo o esforço de otimização do site, mesmo alterando o código de programas, a performance do site ainda continua sofrível. Muito possivelmente ele está sendo impactado por código JavaScript de terceiros, que tornam as páginas mais lentas.

Código JavaScript de terceiros são aqueles incorporados no site diretamente por uma solução de terceiros. Dentre eles estão anúncios, códigos de análises, widgets e outros scripts, que tornam a web mais dinâmica e interativa. Um exemplo é o JavaScript de incorporação do player de vídeo do YouTube, que permite incorporar vídeos ao site. Confira alguns outros exemplos:

  • Botões de compartilhamento do Facebook, Instagram, Twitter, etc.;
  • Iframes de publicidade;
  • Scripts de análise e métricas;
  • Scripts de teste A / B.

Os scripts de terceiros fornecem uma ampla gama de funcionalidades úteis e eles podem ser cruciais para a funcionalidade e conversão do site. Mas eles também apresentam muitos riscos que devem ser levados em consideração para minimizar seu impacto e, ao mesmo tempo, fornecer valor.

O ideal é garantir que eles não estejam afetando o caminho crítico de renderização. Adicionalmente ao PageSpeed Insights, mencionado anteriormente, um outra ferramenta legal para ajudar na identificação de códigos de terceiros que estão afetando a performance do site é o GTmetrix.

10 - Leve ao mínimo o tempo para carregar o primeiro byte

Além do tempo que a página leva para carregar totalmente, é importante também saber quanto tempo ela leva para começar a carregar. Chamamos este tempo como o tempo até o primeiro byte, ou TTFB. Traduzindo, ele é a quantidade de tempo que um navegador tem que esperar antes de obter o primeiro byte de dados do servidor. O Google recomenda um TTFB de menos de 200 ms. Este ponto remete ao tipo de servidor que o site está hospedado. Quanto mais barata e compartilhada a hospedagem do seu site, pior.

11 - Monitore a velocidade do site constantemente

Existem vários fatores que afetam a velocidade do site e alguns deles podem mudar a qualquer momento. Monitorar os tempos de carregamento regularmente ajuda a detectar problemas logo no início e assim manter o site sempre em bom funcionamento.

Conclusão

Fazer com que os tempos de carregamento de um site estejam em padrões ideais é uma tarefa desafiadora, mas que trará um impacto positivo no desempenho geral do site e no seu negócio. Portanto, invista sempre algum tempo examinando os resultados do teste de velocidade de seu site e procure os problemas que têm o maior impacto em seus tempos de carregamento. Concentre-se nos fatores de alto impacto e tome as medidas necessárias para sempre resolvê-los rapidamente.

Conheça nossos serviços de Avaliação de sites e otimização. Eles estão totalmente orientados para dotar seu site das melhores práticas que promovem a performance que gera mais leads, conversão e aumenta o engajamento do seu público-alvo.

Lembre-se que parte do preço a pagar pelo sucesso do seu site é a eterna vigilância com sua performance e a experiência que ele propicia aos seus visitantes.

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no email
Email
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Parceiros e comunidades

Quer saber como podemos ajudá-lo na sua jornada digital ?

Algumas das comunidades em que estamos engajados

Rolar para cima
logotipo da wedoiti

Deixe seus dados que entraremos em contato